Rodadas de Negócios do MA Mais Produtivo movimentaram R$ 35 milhões em 2015

As rodadas de negócios promovidas pelo Maranhão Mais Produtivo, programa desenvolvido pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Indústria e Comércio (Seinc), já movimentaram mais de R$ 35 milhões este ano.

Lançado em outubro 2015, o programa realizou 10 rodadas, obtendo 66% de êxito, além de ter prestado mais de 476 orientações empresariais.

Ao todo, 244 empresas tiveram a oportunidade de apresentar seus produtos e serviços às empresas consideradas âncoras, como o Grupo Mateus; Supermercado Maciel; Supermercado Carone; Supermercado Universo; Mercadinho Pinheirense; Ouro Preto Óleo e Gás; Suzano Papel e Celulose; VLI Logística; Parnaíba Gás Natural, dentre outras.

Desenvolvido para promover a inserção competitiva das empresas maranhenses nos mercados interno e externo, por meio da inovação tecnológica, da produtividade e da qualidade, o Mais Produtivo destina-se a atividades empresariais com no mínimo seis meses de efetiva operação no Maranhão que busquem ampliar sua atuação empresarial no mercado.

Contempla, também, um conjunto de ações estratégicas que incluem, dentre outras, capacitações técnicas, consultorias presenciais, rodadas de negócios e uma ampla variedade de ações destinadas a oportunizar às empresas o acesso a novos mercados.

Para o secretário de Indústria e Comércio, Simplício Araújo, a rodada de negócios é uma ferramenta bastante utilizada para estimular micro e pequenas empresas a prospectarem mercado. A proposta, segundo ele, é colocar na mesa de negociação proprietários e gerentes de micro e pequenas empresas ofertantes com representantes dos grandes empreendimentos âncoras.

“As rodadas fomentam a relação comercial entre os participantes durante as reuniões agendadas previamente. É uma oportunidade única para dinamizar compras e vendas de produtos e serviços em um mesmo local. Em 2016 vamos trabalhar para que mais empresas façam parte do programa Mais Produtivo e tenham a oportunidade de inserir seus produtos ou serviços no mercado”, afirmou o secretário Simplício Araújo.