Governo e Luna Gold assinarão termo de compromisso para investimentos no Maranhão

Reuniao Seinc Luna Gold 01O Governo do Maranhão vai assinar, nos próximos dias,  um termo de compromisso com a empresa Luna Gold, proprietária da mineradora Aurizona. A celebração do acordo visa investimentos do grupo canadense no Estado na ordem de R$ 120 milhões. O valor será destinado à retomada da produção no município de Godofredo Viana.

Durante reunião com gestores da Secretaria de Estado de Indústria e Comércio (Seinc), que estiveram dialogando com representantes da empresa, o grupo ainda anunciou um investimento de U$ 14 milhões por meio de uma Joint Venture(fusão entre duas empresas). O valor prevê pesquisas na área de mineração em sete municípios da região de Godofredo Viana.

A empresa, que anteriormente havia anunciado a suspensão das operações, atualmente está realizando estudos de engenharia na região e garante que pretende iniciar as obras na mina, ainda este ano. A previsão, segundo o presidente da Luna Gold, Marc Leduc, é que as operações comecem em 2018.

“Nos últimos seis meses nós completamos 20 mil metros de programa de exploração. Isso nos ajudou a ter um entendimento melhor do corpo de minério que existe na região e com isso nós podemos pegar essa informação e completar os estudos de engenharia, para que possamos demostrar que podemos reiniciar a operação”. Com a retomada das atividades no Maranhão, serão gerados aproximadamente 500 empregos diretos e 1.500 indiretos. A empresa vai se comprometer a comprar R$ 2,4 bilhões no Estado.

“A retomada das atividades e o anúncio de investimentos da Luna Gold sinaliza mais uma vez que estamos no caminho certo, criando uma ambiência favorável aos negócios e dialogando com as empresas, visando a geração de emprego, renda e buscando crescimento para o Maranhão”, frisou o secretário da Indústria e Comércio, Simplício Araújo.

Demais prerrogativas  

Na elaboração do documento, ainda está previsto a inclusão da empresa no programa “Escola Digna”, que tem o intuito de substituir escolas improvisadas de taipa, palha, galpões ou outros estabelecimentos considerados inadequados, por estruturas de alvenaria. O grupo empresarial também deve realizar a construção e manutenção de estrada de acesso ao povoado Aurizona, onde a empresa desenvolve suas atividades.