Governo discute medidas para desenvolver cadeia produtiva de suínos no Maranhão

Gestores do Governo do Maranhão e produtores, durante reunião que tratou sobre medidas para avanços da cadeia de suínos no estado. (Foto: Divulgação)

Gestores do Governo do Maranhão e produtores, durante reunião que tratou sobre medidas para avanços da cadeia de suínos no estado. (Foto: Divulgação)

O Maranhão tem avançado nos trabalhos em prol do adensamento de cadeias produtivas. Nesta segunda-feira (13), gestores das secretarias de Indústria e Comércio (Seinc), Agricultura, Pecuária e Pesca (Sagrima), Fazenda (Sefaz) e Agência Estadual de Defesa Agropecuária (Aged), discutiram medidas com produtores do setor, afim de expandir a produção de suínos no estado, visando atender o mercado local e regional.

O Governo por meio de ações conjuntas, já vem realizando uma série de medidas em torno da suinocultura, como a aprovação do decreto 32.595, de 18 de janeiro de 2017, que estabelece o pagamento antecipado do ICMS nas entradas, no Maranhão de gado suíno vivo ou abatido, bem como produtos oriundos, trabalhos de sanidade animal e levantamentos que vão ajudar a alavancar a cadeia.

De acordo com o representante da Associação dos Suinocultores do Maranhão (Assuima), Bernado Phillipsen, o decreto é um importante passo para a suinocultura maranhense. “Atualmente o suíno nunca esteve tão valorizado. 70% do custo do suíno é grão e hoje nós já somos autossuficientes nisso. Então, precisamos nos mobilizar e produzir, gerando emprego e renda no estado”.

Dados divulgados Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), mostram que o Brasil é o 4º maior produtor mundial de carne suína. Para o secretário adjunto de Indústria e Comércio, Expedito Júnior, as medidas são de fundamental importância ao produtor local, seja ela grande, médio ou pequeno, todos são responsáveis por gerar emprego no Estado, e dando melhores condições irão contribuir para que o estado possa se tornar autossuficiente.

“Temos um grande potencial para a produção de suínos no estado. Com os ajustes na cadeia e o diálogo com os produtores, em breve, teremos uma produção que atenda o consumo interno e futuramente outros estados e até mesmo o exterior. Vamos continuar monitorando o setor, e discutindo mecanismos de apoio e desenvolvimento à produção”, explicou o secretário.

Segundo o presidente da Aged, Sebastião Anchieta, o maior gargalo da cadeia é produção que possa atender a demanda do mercado. Por isso, destacou o encontro, como sendo benéfico para todos. “Foi fundamental essa reunião, Governo do Estado, com os produtores e iniciativa privada, buscando soluções discutindo com os produtores, para que eles possam melhorar sua produção, e abastecer todo o mercado do Maranhão”, destacou.

Atualmente, estão sendo realizados cadastros de produtores em todo o estado. O Governo alerta, que todos os estabelecimentos de criação de suínos, deverão ser cadastrados pelas secretarias de agricultura ou órgãos de defesa sanitária, a fim de ter um maior controle sanitário sobre o produto.

O secretário adjunto de Agricultura, Pecuária e Pesca, Emerson Macedo, reforça que a produção que o Governo tem valorizado a produção local. “O estado tem a preocupação com o abastecimento. A gente sabe que há uma possibilidade de consenso com quem produz e comercializa, para que de fato não falte o produto na mesa do maranhense e quem produz tenha a oportunidade de servir esse maranhense”.