Governo debate estratégias de operação de linha de contêineres via Porto de Itaqui

As operações por meio de contêineres via Porto do Itaqui foram debatidas nessa segunda-feira (4) com o secretário de Indústria, Comércio e Energia (Seinc), Simplício Araújo, gestores da Empresa Maranhense de Administração Portuária (Emap) e empresas que atuam no setor. A proposta é discutir estratégias para o início das operações, visando democratizar a operação, incluindo pequenas e médias empresas.

As operações de contêineres democratizam o Porto, pois, além de permitir a movimentação de cargas com maior valor agregado, possibilitam com que pequenos produtores e cooperativas possam utilizá-lo.

De acordo com Simplício Araújo, as operações podem agregar valor ao segmento econômico no Maranhão e em outros estados. “Essa é a primeira reunião para discutir essa importante operação, que envolve diversos atores. Com isso consolidado, estaremos contribuindo para a expansão de mais um nicho de mercado, e democratizando o processo com pequenas e médias empresas maranhenses”, pontuou.

O Porto do Itaqui já realizou uma série de mudanças visando as operações via contêineres, como a expansão de área de pátio para armazenagem, reestruturação da parte elétrica para o recebimento de contêineres, uma nova central de controle operacional, iluminação dos berços, dragagem na área de manobra de navios, o que vai possibilitar uma maior manobrabilidade e menos restrição com relação a praticagem e recebimento de navios via porto.

Outra medida está relacionada ao processo de implantação de monitoramento e controle totalmente automatizado de todas as operações, possibilitando acesso a dados como armazenagem de pátio sistematizado, aumentando a capacidade, segurança nas operações e melhorando assim a competitividade do porto. As medidas possibilitam ao porto exportar e importar produtos que só podem ser transportados por esse modelo de armazenamento.

“O Porto do Itaqui vê com entusiasmo o retorno de negociações entre empresários e demais agentes logísticos no sentido de restabelecer os serviços regulares de contêineres. Foram feitos investimentos e expansões na infraestrutura portuária que propiciam mais competitividade ao modal marítimo”, ressaltou a gerente de planejamento da Emap, Luciana Luzolitz.

Apoio do empresariado

Durante a reunião, empresários defenderam a retomada das operações de contêineres via Porto do Itaqui. Para eles, o apoio do Governo e as mudanças realizadas pela Emap vão fazer toda a diferença nesse processo, quem tem tudo para dar certo.

“Hoje, tanto o grupo empresarial, o porto e o envolvimento do Governo trouxe uma maturidade para esse processo muito importante. Quando você consegue ter a junção dos volumes consolidando assim, o mínimo de carga para trazer uma linha regular, já se tem 60% a 70% desse processo percorrido. Acredito que isso será bem interessante para o Itaqui, para o Maranhão a vinda desse serviço pra cá”, ressaltou Júlio Álvaro Coelho, regional da CMA CGM do Brasil.

Algumas empresas defendem, ainda, que as operações irão trazer maior competitividade ao Maranhão. “Nós temos vias marítimas maravilhosas, só precisamos estruturar com o porto e com operadores. Melhorando a competitividade, vai melhorar o volume transportado aqui no estado e consequentemente melhora o preço na ponta para o consumidor”, disse João Pinto, Gerente Comercial do Grupo Mateus.