Seinc debate ações para 2018 voltadas ao Programa de Desenvolvimento de Fornecedores

As metas e desafios para 2018, do Programa de Desenvolvimento de Fornecedores do Maranhão (PDF), foram debatidas durante reunião do conselho gestor na terça-feira (21). O programa visa contribuir para o desenvolvimento de fornecedores locais e para a promoção de negócios no Estado.

Considerado um instrumento estratégico de articulação entre o poder público e a iniciativa privada, o PDF é desenvolvido por meio de gestão compartilhada entre a Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (Fiema) e a Seinc.

Durante a reunião, foi ressaltada a importância do Programa Mais Produção como veículo intensificador das ações do PDF, que potencializam as cadeias produtivas do Maranhão com novos negócios.

O secretário da Seinc, Simplício Araújo, destacou pontos relativos à economia maranhense, como a reversão das importações interestaduais, valorização das empresas locais e a realização de mais uma edição do Ciclo de Seminários Mais Desenvolvimento, que desta vez, vai tratar sobre mercado interno.

“O PDF pode somar muito com as ações que estamos desenvolvendo no Estado. Com os trabalhos de atração de investimentos e fomento aos pequenos negócios que estamos realizando, vamos contribuir para o crescimento do Maranhão e para os fornecedores locais”, ressaltou Araújo.

O PDF contribui para que empresas maranhenses se mantenham atrativas para os grandes empreendimentos instalados ou em fase de instalação no estado, por meio de três vetores: assessoria aos negócios; capacitação e certificação e promoção e divulgação.

De acordo com o coordenador do programa, Carlos Jorge, o primeiro encontro do PDF em 2018 também teve o objetivo de apresentar os resultados do ano anterior. “Essa reunião é significativa porque é um momento que apresentamos os resultados de 2017 e tivemos a oportunidade de discutir com todos os membros do conselho, além da Federação das Indústrias e da Seinc, todo o planejamento para 2018 e tudo o que vamos traçar como objetivo para buscar mais oportunidades para empresas locais”, informou.

O presidente da Fiema, Edilson Baldez, reiterou a responsabilidade do PDF com o fornecedor maranhense. “É um programa que tem tudo a ver com o desenvolvimento do estado. O PDF tem esse papel de preparar os fornecedores para o setor público e especialmente para a inciativa privada. Um programa que vai utilizar muito mais a expertise das entidades empresariais para que ele possa cumprir com os seus objetivos”.