Políticas de incentivo e apoio a classe empresarial são destaques no Seminário Mais Desenvolvimento

As oportunidades para a cadeia atacadista e varejo supermercadista foram destaque no 5º Seminário Mais Desenvolvimento, realizado pelo Governo do Maranhão em parceria com a Associação Maranhense de Supermercados (Amasp) e Associação Maranhense dos Distribuidores e Atacadistas (Amda).

O evento coordenado pela Secretaria de Estado de Indústria, Comércio e Energia (Seinc) foi realizado, nesta quinta-feira (17), no Rio Poty Hotel, em São Luís, e contou com palestras de Simplício Araújo, secretário de Indústria, Comércio e Energia; Marcellus Ribeiro, secretário de Fazenda; Dyogo Henrique de Oliveira, ex-ministro do Planejamento; Roque Antônio Carrazza, doutor em Direito Tributário; e Luiz Nassif, jornalista e superintendente da agência Dinheiro Vivo.

Simplício Araújo frisou o trabalho realizado nos últimos quatros ano no Governo do Maranhão para defender e apoiar os empreendedores maranhenses. “Abrimos portas e destravamos gargalos. O Governo do Estado não vai deixar acontecer o que era comum no passado, onde o Estado atrapalhava os negócios das pessoas”, explicou.

O secretário reafirmou o compromisso do Governo do Maranhão com o setor supermercadista e fez questão de destacar que hoje as oportunidades são para todos, sejam pequenos, médios ou grandes. Ele condenou a divulgação de mentiras nos últimos dias em blogs e redes sociais sobre as políticas de governo. “O mais atingido [com essas mentiras] é o trabalhador”, lamentou.

Ele detalhou que o seminário tratou de três vertentes que impactam diretamente no segmento: o cenário de crise nacional; a questão tributária, que engloba tanto o mercado nacional quando o mercado local; e, principalmente, mostrar para os pequenos empreendedores que é preciso união para buscar mais competitividade perante os grandes concorrentes do mercado.

Dentre os temas abordados no seminário estiveram: a gestão tributária competitiva; reflexões e alternativas para o país e para as empresas se tornarem mais competitivas; os incentivos fiscais para os segmentos do varejo e atacado no Maranhão; a importância das parcerias entre o poder público e a iniciativa privada; além das oportunidades para reaquecer o mercado de varejo alimentar no Brasil.

João Sampaio, vice-presidente da Amasp, destacou que o Governo do Estado está fazendo a sua parte sem distinções. Segundo ele, são em momentos de crise que os empreendedores de supermercados devem ser resilientes e otimistas.

“Eventos como este seminário, que tivemos a oportunidade de acompanhar, mostram que os outros setores estão alinhados com a proposta de desenvolvimento da gestão estadual. Dentro do que pode ser feito, o Governo do Estado está sim fazendo a sua parte. Nós, do setor supermercadista, ficamos muito gratos por ter uma oportunidade como essa”, destacou João Sampaio.

Ao final do evento, 12 empresas maranhenses receberam o selo Produzido no Maranhão, iniciativa da Seinc que visa valorizar e fortalecer o que é produzido dentro do estado.

Exposição de produtos e oportunidade de negócios

Paralelamente ao seminário, cerca de 40 empresas maranhenses do programa Produzido no Maranhão tiveram a oportunidade de expor seus produtos ao público e realizar tratativas comerciais.