Especialistas destacaram hub de combustíveis do Maranhão durante workshop

Secretário Simplício Araújo (Foto: Arthur Costa)

Especialistas que participaram do workshop Maranhão Hub de Combustíveis: Potencialidades e Perspectivas, realizado pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Indústria, Comércio e Energia (Seinc), destacaram a capacidade econômica, logística e a posição estratégica do Maranhão no mercado de combustíveis, na segunda (1º).

Na oportunidade, foram apresentados a gestores do Governo do Estado, empresários, entidades empresariais e universitários alguns dos empreendimentos que integram os R$ 3 bilhões de investimentos na cadeia de distribuição e armazenamento de combustíveis do Maranhão.

“O objetivo foi promover um debate das ações do Governo do Maranhão no setor. Essa troca de informações pode trazer oportunidades tanto para nós, como, principalmente, para o povo do Maranhão que pode visualizar o que estamos construindo e aproveitar as oportunidades que advém dessas construções e dos diversos elos da cadeia produtiva”, sublinhou o secretário da Seinc, Simplício Araújo.

Palestraram, além do secretário Simplício Araújo, o gestor de Terminais de Granéis Líquidos junto à Terminais Marítimos de Pernambuco (Temape), Sebastião Azevedo; o sócio fundador da Petronac Combustíveis, Joaquim Dias; o gerente comercial da Raízen Combustíveis, Bruno Barros; e o diretor da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Aurélio Amaral.

O sócio da Petronac, Joaquim Dias, apresentou o plano de negócios da empresa, que atua há 20 anos no Maranhão e as vantagens competitivas do Porto do Itaqui. “Essa iniciativa brilhante [evento] oferece condições para a população de conhecer a realidade e onde ela pode contribuir para trazer melhorias nas condições do estado, região e Brasil”.

Sebastião Azevedo, gestor da Temape,  empresa que vai investir R$ 180 milhões em um terminal de armazenamento de líquidos no Maranhão, afirmou que o Nordeste não tem nada comparado ao Porto do Itaqui. “Operações e intenções de investimentos bastante sinérgicos surgem nesses debates e podem resultar em parcerias e desenvolvimento de projetos futuramente”.

Gerente de negócios da Raízen, Bruno Barros (Foto: Arthur Costa)

Atração de investimentos e localização estratégica

A localização estratégica e as políticas de atração de investimentos realizadas pelo Governo do Estado, por meio da Seinc, foram temas de destaque por empresas e especialistas.

“Em função do porto, o Maranhão tem um grande posicionamento estratégico para a saída e entrada de combustível e de grãos”, ressalta Aurélio Amaral, diretor da ANP. Ainda segundo Amaral, o Maranhão tem indústria e recursos agroeconômicos que também podem interessar o investidor. “O Estado tem as condições, o governador Flávio Dino tem trabalhado para isso, e o próprio secretário Simplício Araújo tem construído as condições, a legislação específica e os arranjos institucionais necessários para que esses investimentos se consolidem no Maranhão”.

Já o gerente de negócios Bruno Barros, destacou o que atraiu a Raízen Combustíveis ao Maranhão. “ A posição logística principalmente, o ambiente político encontrado por meio do Governo e os modais ferroviários e rodoviários que internalizam esse produto. Aqui é tido como hub e tem potencial de escoamento maior que os outros locais encontrados no país”.

Para Barros, o ambiente favorável aos negócios, as políticas públicas, o mercado de importação próximo ao Golfo, o potencial estratégico e a infraestrutura logística são os destaques do estado. A Raízen tem um terminal em expansão em Açailândia e está investindo R$ 200 milhões em um empreendimento na retroárea do Porto do Itaqui, considerado o maior investimento da empresa em se tratando de base de distribuição.