Festa do couro consolida potencial de produção do produto na região Tocantina

Foram três dias com exposição e comercialização de produtos em couro, shows, apresentações culturais, palestras, concurso e oficinas que marcaram a terceira edição da Festa do Couro de Ribeirãozinho. O evento que é promovido pela Secretaria de Indústria, Comércio e Energia (Seinc), tem se consolidado no calendário de eventos da região Tocantina e cresce a cada ano.

O secretário da Seinc, Simplício Araújo, que criou o evento, explica que a festa tem o objetivo de propagar o potencial da cidade que agrega um dos maiores polos coureiros do Norte/Nordeste. Desde 2015, estão sendo realizados trabalhos para o adensamento da cadeia do couro, como ações de capacitação de mão de obra, apoio e fomento.

“ Quando criamos a festa, foi para divulgar a produção dos alunos de cursos voltados para o manuseio do couro. Sempre apostei no potencial do polo coureiro e o que faltava era ajudarmos na capacitação de mão de obra, apoio e fomento e a festa hoje refleti que estamos no caminho certo, e vamos continuar com esse trabalho”, disse o secretário.

Desde 2015, o Governo tem desenvolvido uma série de ações em prol da cadeia do couro na região, como capacitação de mão de obra local, um anseio antigo dos moradores do município, com a instalação de uma unidade vocacional do Instituto de Educação Ciência e Tecnologia do Maranhão (IEMA), além de outros cursos e capacitações promovidos para o setor produtivo.

A Festa é realizada em parceria com a prefeitura de Governador Edison Lobão e Sindicato de Couros e Peles do Estado do Maranhão (Sindcouros). O presidente do SindCouros, Adão Gonçalves, ressalta que os trabalhos do Governo do Estado na cidade foram fundamentais para o desenvolvimento do setor coureiro. “Com essa parceria nós só temos a decolar com a mão de obra e trabalho para nossa cidade”, disse.

O couro é a principal matéria prima da região, usado principalmente na confecção de estofados, calçados, em vestuário e acessórios, tais como bolsas, cintos, maletas, brincos, dentre outros.

Impacto na economia

Os trabalhos desenvolvidos pela Seinc estão refletindo na verticalização da cadeia do couro na região, gerando emprego e renda. Recentemente, artesãos e ex-alunos dos cursos de capacitação formaram a associação de Artesãos de Ribeirãozinho. A presidente Keila Soares, pontua que tudo no couro pode ser aproveitado. “A gente tem capacitado vários artesãos, nós já temos várias encomendas e muitas peças podem ser trabalhadas com as sobras do couro”, explica.

Para o prefeito de Governador Edison Lobão, Geraldo Braga, o evento tem impactado diretamente na economia do município. “Para nós da região Tocantina ela [festa] virou uma marca registrada esse momento da feira do couro e para nossa população a grandiosidade é a questão da comercialização do produto, do couro e artesanato e de vários produtos afins que acabaram se juntando e transformando essa feira em um grande referencial na economia de Governador Edison Lobão.