Simplício Araújo destaca importância e coragem de Flávio Dino perante a crise, durante reunião do FNE 2020

Simplício Araújo destacou o trabalho do Governo do Maranhão e o adensamento de cadeias produtivas Foto: Arthur Costa

O secretário de Indústria, Comércio e Energia (Seinc), Simplício Araújo, representou, nesta quarta-feira (18), o governador Flávio Dino, durante a reunião estadual sobre a programação do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE), do Banco do Nordeste (BNB), destacando a coragem do Governador frente a crise econômica.

Durante a reunião, Simplício Araújo frisou que o Maranhão, desde 2015, tem realizado ações e trabalhos na contramão da crise, com a atração e expansão de investimentos, adensamento de cadeias produtivas e fomento em diversas áreas. Um exemplo disso é a carteira de investimentos prospectados pela Seinc na ordem de R$ 20 bilhões.

“O governador Flávio Dino com muita responsabilidade tem tocado o destino do Maranhão e com muita coragem debatido o futuro do país em diversos eventos e encontros pelo Brasil a fora, praticamente com carga de trabalho dobrada. O novo ambiente de negócios que implantamos no Maranhão Com os trabalhos de atração e expansão de investimentos e fomento, que geram emprego, renda e contribuem, inclusive, com os trabalhos do FNE”, explicou Simplício Araújo.

Os investimentos apresentados por Simplício Araújo estão ligados aos setores de tancagem, avicultura, carne, couro, energia, indústrias, entre outros. Tudo isso, atrelado aos trabalhos de adensamento de cadeias produtivas.

O Superintende do BNB no Maranhão, Hailton Fortes, ressaltou que os trabalhos de atração de investimentos do Maranhão contribuíram para que o BNB alcançasse 80% da meta de 2019, que soma-se a R$ 1,3 bilhão. Segundo ele, o setor de agronegócio representa 30% de toda a movimentação do BNB no estado.

“O estado tem uma vocação para o agronegócio. É o setor da economia que o Banco mais aloca recursos aqui no estado, em função da demanda. Isso representa todo um custeio anual na safra e também no investimento”, disse.

Sobre o FNE

Provido de recursos federais, o FNE financia investimentos de longo prazo e, complementarmente, capital de giro ou custeio. Além dos setores agropecuário, industrial e agroindustrial, também são contemplados com financiamentos os setores de turismo, comércio, serviços, cultural e infraestrutura. A reunião desta quarta-feira, definiu em que setores o BNB vai aportar os recursos.

“Todo ano o BNB faz esse planejamento, ouvindo o Governo, as entidades de classe para planejarmos nossas ações para o próximo ano, e onde esses recursos serão alocados”, pontuou o Antônio Rosendo Júnior, diretor de negócios do BNB.