Articulações da Seinc contribuem com Complexo Minerário em Godofredo Viana

O Complexo Industrial de Mineração da Mina do Piaba, incorporado à empresa de mineração canadense Equinox Gold Corporation, foi inaugurado na segunda-feira (30), com o apoio do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Indústria, Comércio e Energia (Seinc).

A mineração Aurizona e a Seinc firmaram parceria em 2016, tendo por objetivo expandir o Complexo Industrial Minerário em Godofredo Viana, bem como outros possíveis projetos de pesquisa em outras cidades e regiões, dinamizar e acompanhar o setor e a população, desenvolver a região, a infraestrutura das cidades e as organizações político-administrativas municipais.

O evento celebrou a reinauguração das operações do empreendimento, que contou com a restruturação da sua planta industrial entre os anos de 2017 e 2019. A mina do Piaba integra o projeto Aurizona, implantado no município de Godofredo Viana, que fica a 300 km de São Luís, na microrregião do Gurupi.

Segundo o secretário Simplício Araújo, o setor figura como uma das mais importantes fontes de renda e equilíbrio dos índices de crescimento do Estado e do Brasil. “O diálogo e a unidade têm se consolidado como importantes instrumentos do governador Flávio Dino para o Maranhão superar essa crise. Temos atraído e fortalecido parcerias público-privadas, onde acredito ser um dos recursos mais sólidos para amenizar os efeitos da crise e levar, de fato, o Maranhão adiante, a exemplo desse grandioso projeto de mineração”.

Para a construção e modernização da mina, foram investidos mais de R$ 660 milhões. A estimativa é de que sejam extraídas cerca de quatro toneladas de ouro por ano pelos próximos sete anos. O Maranhão concentra os principais investimentos da companhia em 2019. Além de Godofredo Viana, a Equinox Gold possui direitos de mineração nas cidades de Cândido Mendes, Luís Domingues e Carutapera. A previsão é de que a empresa mantenha investimentos no Maranhão pelos próximos 20 anos.

Contrapartidas sociais

O Termo de Compromisso firmado entre a Seinc e o grupo empresarial prevê, também, a construção de escolas e custeio de infraestrutura urbana de interesse comunitário.

O projeto já gerou mais de 1.400 vagas de empregos diretos somente no pico das obras, com aproximadamente 80% da mão de obra maranhense e mais 1.000 na fase de operação. Quase 700 pessoas já foram qualificadas para o mercado de trabalho e mais de 60 pequenos e microempreendedores beneficiados com cursos, palestras e capacitação. Foram investidos, ainda, mais de R$ 3,8 milhões em obras de infraestrutura urbana, projetos sociais, capacitação profissional e em ações de patrocínios e apoio cultural.