Simplício Araújo reúne com Governo Federal para debater novo mercado do gás no Maranhão

O Secretário de Indústria, Comércio e Energia do Maranhão (Seinc), Simplício Araújo, esteve  no Ministério da Economia apresentando a proposta para viabilizar gás natural para a indústria e para uso veicular a partir de um poço no povoado Morada Nova, em Bacabal.

Na oportunidade, Simplício Araújo ouviu sobre as vantagens que o Maranhão terá com o avanço da proposta da Seinc, que diz respeito ao plano Mansueto, uma melhor pontuação para receber recursos previstos em Prospostas de Emendas Constitucionais em tramitação no congresso e na melhoria de posições nas notas de crédito para empréstimos internacionais.

A Equipe técnica do Ministério da Economia que reuniu com o Secretário Simplício Araújo,  é chefiada por Alexandre Manoel Angelo da Silva e foram abordados ainda, pontos como os desafios regulatórios e concorrenciais, Dowstream e Upstream com suas atuais situações e as suas perspectivas, distribuição e comercialização, agências regulatórias estaduais e suas práticas, transporte e verticalização.

A reunião demonstrou a convergência entre a proposta do Governo Flávio Dino, apresentada pela Seinc, e a proposta do Governo Federal, construída pelos Ministérios de Economia e de Minas e Energia.

Com a abertura do mercado de gás natural no Maranhão, “teremos a vantagem de oferecer mais possibilidades de uso deste importante recurso natural, que atualmente só é usado para a geração de energia elétrica, dando mais vantagens competitivas as empresas já instaladas no estado e atraindo mais indústrias, além de possibilitar o uso do gás veicular, que é totalmente inviável com a atual legislação e regulamentação”, disse Simplício Araújo.

Mais ações
Recentemente, o Governo do Estado por meio da Seinc e Eneva, que produz gás natural no estado, assinaram um termo de cooperação para ampliar a produção de gás natural no Maranhão, visando garantir o uso  para indústrias e veículos, em especial transporte de passageiros.

Atualmente, o gás natural produzido no Maranhão é utilizado para geração de energia elétrica, no complexo termelétrico da empresa, instalado em Santo Antônio dos Lopes.

O Governo do Estado está em fase de elaboração de uma lei estadual que reestrutura a comercialização do gás natural, que será enviada para a Assembleia Legislativa. O investimento da empresa será de R$ 90 milhões, que inclui a construção de cluster.