Conselho Empresarial debate Zoneamento Ecológico Econômico do Maranhão

Publicado em 5 de fevereiro de 2020.

Os avanços nos trabalhos do Zoneamento Ecológico Econômico do Estado do Maranhão (ZEE-MA) foram debatidos durante reunião do Conselho Empresarial (CEMA), presidido pelo vice-governador Carlos Brandão e pelo secretário de Indústria, Comércio e Energia (Seinc), Simplício Araújo, nesta quarta-feira (5), no Palácio dos Leões.

Segundo o vice-governador Carlos Brandão, a demanda, que era antiga, conseguiu avançar em apenas dois anos. “A demanda, que surgiu aqui no Conselho Empresarial, passava por governos e governos, e sempre foi considerada uma tarefa muito complicada. O ZEE é uma ferramenta extremamente importante, porque, para os empresários investirem, precisam conhecer o desenho do Estado e estudos que não tinham. Foi um marco, um desafio e uma vitória e acho que aprendemos o caminho”, explica.

A explicação de Carlos Brandão é justificada pelo encaminhamento no início da semana, do projeto de lei, referente à primeira da etapa do ZEE sobre os estudos do Bioma Amazônico. A segunda etapa consiste nos trabalhos referentes às etapas dos Biomas do Cerrado e Costeiro, que já foram iniciados. Os estudos e pesquisas têm previsão de serem concluídos até o fim deste ano, contemplando todo o território maranhense.

“O Maranhão está vivendo um momento muito bom e vem sempre se destacando e isso é fruto naturalmente das oportunidades de negócios e do que o Governo tem feito para ajudar os empresários. Simplício tem feito muito isso, conversado com novos empresários para os atraírem para cá. O empresário tem sentido que o Maranhão é um ambiente saudável para se investir, que pode trabalhar e ampliar seus negócios. Essa confiança jurídica e política é muito importante. O CEMA é o grande caminho para a solução”, acrescentou Brandão.

A Seinc faz parte da Comissão Estadual do ZEE. Além de reforçar toda conjuntura propícia do Maranhão para atrair investimentos, estimulada por ações do Governo do Estado, incluindo desempenhos positivos na geração de emprego e no crescimento econômico, Simplício Araújo destacou os reflexos que o ZEE passa a trazer para as atividades.

“Eu saio da Seinc e me reúno com as esferas municipais, estaduais e federais mostrando a necessidade da gente amparar e estender o tapete vermelho para quem quer investir no Maranhão. Para isso, é preciso agilizar todos os processos enquanto setor público. Com o ZEE, damos um grande passo, pois ele ajuda a desburocratizar. O projeto é mais um grande passo e legado deixado pelo governador Flávio Dino, que vai contribuir para que o Maranhão possa atrair mais investimentos”, frisou.

ZEE

O ZEE é uma importante ferramenta de planejamento a ser utilizada tanto pelo Governo do Estado, quanto por agricultores, pecuaristas, empresários, pesquisadores e qualquer pessoa que queira saber mais sobre o território maranhense. Ele é composto de uma série de pesquisas e estudos sobre solos, relevos, vegetação, fauna e componentes humanos de uma determinada região.

O Governo do Estado tem por objetivo elaborar o ZEE mais trabalhado como instrumento de orientação para a formulação e especialização das políticas públicas de desenvolvimento socioprodutivo e ambiental, de modo a produzir o ordenamento territorial, assim como servir para as tomadas de decisões de investimento dos agentes privados.