Mesmo com a crise sanitária, Maranhão registra mais de 7 mil novos negócios

Publicado em 28 de julho de 2020.

Além dos diálogos constantes promovidos pela Secretaria de Estado de Indústria, Comércio e Energia (Seinc) com representantes empresariais, outro fator importante de ajuda ao setor produtivo, neste período de pandemia da Covid-19, são os dados analisados pela Junta Comercial do Maranhão (Jucema), autarquia vinculada à Seinc.

De acordo com a primeira edição do Boletim Empresarial, lançado pela Jucema, o Maranhão alcançou a marca de 270.056 empresas ativas – um crescimento de 115% em relação a 2014, quando o Estado contava com pouco mais de 125 mil empresas registradas.

Os dados do levantamento apontam, também, que mesmo em período de pandemia, 7.224 novos negócios foram abertos em todo o Estado, entre os meses de abril e junho de 2020.

Para o secretário de Estado de Indústria, Comércio e Energia, Simplício Araújo, a dinâmica empreendedora do maranhense, aliada ao diálogo constante da secretaria com os empresários, tem surtido efeito nos dados do boletim.

“O maranhense tem uma forte característica de empreendedor. Em tempos de crise sanitária, muitos deles buscaram se reinventar e buscaram novas diretrizes neste momento tão delicado. E, em meio às adversidades, temos reforçado nossas ações em orientar toda a classe empresarial para encontrarmos, juntos, uma forma de vencer a pandemia”, afirmou o secretário.

Mais dados

Ainda segundo o boletim, o Maranhão apresentou balanço positivo na abertura de empresas entre janeiro e junho de 2020: 17.607 empresas abertas durante o primeiro semestre de 2020 – uma retração de apenas 1,4% em relação ao mesmo período do ano passado.

Para ter acesso ao panorama completo do setor empreendedor do Maranhão, acesse o Boletim Empresarial de junho de 2020 no site da Jucema (www.portal.jucema.ma.gov.br).