Comércio e Serviços

Do pequeno ao grande varejo, passando pelo comércio de alimentos, vestuário, eletrodomésticos, áudio e vídeo, utilidades domésticas, além de serviços de manutenção, das áreas de turismo, educação, arquitetura, assistência médica e jurídica entre outros, o setor de Comércio e Serviços é o que mais absorve mão de obra e agrega o maior número de empresas.

O ritmo de crescimento industrial acarreta o surgimento de significativos investimentos no segmento. Neste cenário, destacam-se os serviços articulados pela construção civil acelerada pelas obras públicas e pela urbanização e o crescimento das redes de lojas de varejo e shopping centers. A ampliação de modais de transporte, expansão da Estrada de Ferro Carajás, e o andamento do projeto do Terminal Portuário do Mearim contribuem para a expansão também do setor atacadista, construindo nós logísticos com grande potencial.

Nos primeiros seis meses de 2015, o setor de serviço se mostrou mais procurado por quem quer empreender. No primeiro semestre, foram criadas 8.590 empresas nesse segmento, o equivalente a 61,4% do total. No Maranhão, o setor de serviços representa mais de 60% do PIB estadual.

Os shoppings centers são integrantes significativos do varejo e espalharam-se pelo Brasil, posicionando-o como o 8º país com o maior número de empreendimentos do ramo, e até 2014 é prevista a abertura de mais de 113 shoppings. Neste cenário, a Região Nordeste ocupa a segunda colocação em relação às outras regiões brasileiras que receberão os novos centros comerciais.

No Maranhão, a capital terminará o ano de 2015 com oito shoppings centers. A segunda maior cidade do estado, Imperatriz, possui dois empreendimentos no ramo. Bacabal, Timon, Caxias, Açailândia e Santa Inês, importantes municípios do interior do Maranhão, têm, pelo menos, cinco shoppings centers projetados.