Produtores de leite recebem ordenhadeiras mecânicas na região do Médio Mearim

Publicado em 30 de outubro de 2017.

Produtores de leite da região do Médio Mearim receberam nesse sábado  (28), ordenhadeiras mecânicas. A iniciativa faz parte dos trabalhos de adensamento da cadeia, visando o aumento da produtividade.

Ao todo foram entregues 30 equipamentos que devem ajudar na retirada do leite, contribuindo para acelerar todo o processo. A ação, faz parte do Programa Mais Produção, coordenada pelas secretarias de Indústria, Comércio e Energia (Seinc) e Agricultura, Pecuária e Pesca (Sagrima).

“Essa será uma de muitas que ainda vamos fazer. Estamos fazendo todo um trabalho de adensamento e expansão da produção na região que tem uma grande potencialidade”, destacou Simplício Araújo, secretário da Seinc.

Recentemente produtores da região receberam 25 tanques de resfriamento de leite. Com a entrega dos tanques, os produtores podem realizar até duas ordenhas/dia, já que terão espaço adequado para armazenar o produto.

“Além dos equipamentos já entregues, vamos continuar com o trabalho de acompanhamento junto aos nossos produtores”, frisou Araújo.

Assistência técnica

Está sendo realizado um trabalho de Assistência Técnica e Gerencial (AteG), realizado pelo Serviço Nacional De Aprendizagem Rural (Senar), em parceria com o Governo do Estado.

Por meio dele,  os produtores estão recebendo auxílio de técnicos capacitados, que realizam a assistência contínua. O produtor é capacitado para o empreendedorismo e gestão de negócios, o que eleva a renda e a produtividade, sempre buscando a eficiência e a eficácia, aumentando, desta forma, a rentabilidade.

O secretário adjunto da Sagrima, Emerson Macedo, explica que 10 municípios da região estão recebendo a assistência técnica e ressalta a importância da entrega dos equipamentos. “Temos certeza que com esses equipamentos a produção vai se verticalizar e a gente vai dar um salto de produção e qualidade para o consumidor”, afirmou.

O trabalho de assistência é realizado de acordo com as características de cada propriedade, e, no aspecto técnico, vem fazendo a diferença no ajuste de manejo pecuário, na otimização no uso das áreas de pastagem, no escalonamento da produção e na suplementação alimentar.